Cachaça de Areia conquista JP. Empresário diz que parceria com Rádio fez vendas disparam

Que a cidade de Areia já produz, ao lado do Vale das Salinas (MG), as melhores cachaças do Brasil, isso muitos já sabem. Agora, que esta bebida vem conquistando o gosto dos pessoenses e ganhando cada vez mais espaços nas prateleiras de bares, restaurantes, supermercados e lojas de conveniências, talvez isso alguns não sabem.

Pois bem, esse é o caso da cachaça Boa do Brejo. O seu proprietário, o empresário Cícero Ricardo está gratamente surpreso e encantado como o seu produto vem ganhando o gosto dos brasileiros, dos paraibanos, mas em especial dos pessoenses.

O empresário atribui o case de sucesso a qualidade de seu produto e a estratégia de parceria com a Rádio Pop, mais especificamente com o programa F5, que vai ao ar das 12h00 às 14h00 de segunda à sexta-feira.

“Eu suspeito para falar da Rádio Pop. Eu não vendia nada em João Pessoa e hoje meu maior e melhor mercado é em João Pessoa. Minhas vendas não aumentaram não, dispararam na capital paraibana. Graças a parceria com o programa F5 de meio dia, que para mim é o horário de mais audiência”, disse o proprietário da cachaça Boa do Brejo, que foi premiada como a melhor cachaça do mundo em 2021 no Concours Mondial de Bruxelles.

Este concurso é um dos mais rigorosos e reconhecidos, internacionalmente, pela independência e rigor no processo de degustação. A mais nova cachaça de Areia (PB) desbancou marcas consagradas do Brasil e do exterior.

Degustada por um júri experiente, composto por especialistas do mundo inteiro, que teve como objetivo comum distinguir cachaças de qualidade, a Boa do Brejo, categoria Cristal, foi implacável e foi escolhida a melhor do mundo em um concurso que faz parte dos eventos internacionais mais importantes da bebida destilada do mundo.

Geralmente o Concours Mondial de Bruxelles destina três dias de degustações, onde são avaliados o visual, olfativo, paladar e a personalidade dentro dos parâmetros do guideline, que é entregue ao corpo de jurados. A pontuação de cada bebida participante é medida através de um sistema estatístico de média.

O Concurso Mundial de Bruxelas acontece há 21 anos e, assim como na Copa do Mundo, é sediado em diferentes países a cada edição. Ele é levado muito a sério e, cada vez mais, produtores de destilados do mundo inteiro querem ganhar nas categorias.

Um selo de premiação no Spirits Selection pode representar um aumento de 30% nas vendas. Essa condição torna a premiação ainda mais almejada e competitiva. A regra é clara e decide que apenas 30% dos participantes levam medalhas entre Ouro, Prata e Grand Ouro – o que quer dizer se 100 produtos forem inscritos, somente 30 ganharão.

“É com grande satisfação e emoção que recebo essa premiação, fruto de um sonho de produzir cachaça, colocado em prática há pouco tempo”, argumentou o empresário e idealizador da Boa do Brejo, Cícero Ricardo.

Deixe um Comentário

Relacionados