Em sessão remota com Teich, Veneziano pede ciência e não política em ações nos estados

Ao participar de Audiência Pública remota do Senado na tarde e noite desta quarta-feira (29) com o ministro da Saúde, Nelson Teich, o senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) pediu que o ministro tome decisões para conter o avanço do Covid-19 sempre baseadas na ciência, não na política, e cobrou informações sobre medidas para ajudar os estados que ainda não estão em situação crítica.

Veneziano desejou sucesso ao ministro na sua nova missão e disse que a experiência de Nelson Teich poderá ajudar a conter a pandemia no Brasil. “Quero desejar sucesso nessa empreitada à frente do Ministério, acho que a mais difícil como profissional na área de saúde. Desejo e oro para que vossa excelência e sua equipe se permitam adotar medidas eminentemente baseadas no que a ciência lhes apresentará”, clamou o senador.

Veneziano ressaltou que tem absoluta convicção de que se elementos externos políticos interferirem nas decisões da pasta, será delicado e preocupante para o País, que enfrenta uma pandemia com efeitos devastadores na vida das pessoas e na economia do Brasil.

Fora da Aliança – Veneziano também lamentou as menções desumanas do presidente Bolsonaro, que tratou com desdém o crescimento de óbitos no País por conta da Covid-19. Ele lembrou ao ministro que o Brasil foi excluído da Aliança Global proposta pela Organização Mundial de Saúde (OMS), em razão do “comportamento lastimável que o presidente Bolsonaro adotou nos primeiros dias de combate ao novo coronavírus”; e pediu ao ministro para tentar convencer o presidente a voltar a conviver com a OMS.

Parcerias com Universidades – Veneziano também quis saber as medidas que o Ministério da Saúde está adotando para incentivar parcerias com instituições de ensino público, como a Universidade Federal da Paraíba – UFPB, que fabrica respiradores pulmonares a preços módicos e que poderiam ajudar muito a rede hospitalar, citando, também, outras criações e produções da Universidade Federal de Campina Grande – UFCG e da Universidade Estadual da Paraíba – UEPB.

Por fim, Veneziano apelou ao ministro para que os critérios de distribuição dos recursos para combate à Covid-19 sejam revistos e lembrou que a Paraíba foi prejudicada, ao receber o menor valor entre os estados do Nordeste. Ele lembrou que a Covid-19 tem avançado no Brasil, sendo que, na Paraíba, os números são preocupantes; e enfatizou que a luta do Senado nesse momento é para aprovar projetos que minimizem os efeitos da pandemia, e nesse sentido, várias proposituras já foram aprovadas.

Em resposta Teich disse que o Ministério da Saúde está monitorando todos os estados do país quanto à evolução da epidemia, tentando antecipar cenários, e que sua pasta está atuando de forma mais intensa nos lugares em situação mais crítica, mas sem esquecer as outras localidades.


Deixe um Comentário

Relacionados