GOV
14 . Mar . 2019

Chacina em Escola: Senador diz que se professores estivessem armados tragédia teria sido evitado

Em: POLÍTICA
O senador Major Olímpio (PSL-SP) afirmou ontem que o massacre que deixou ao menos oito pessoas mortas na escola estadual Professor Raul Brasil em Suzano, na região metropolitana de São Paulo, teria sido evitado caso os funcionários da escola estivessem com armas.
 
O senador, um dos mais destacados apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PSL), tem como suas principais pautas a revogação do estatuto do desarmamento e a redução da maioridade penal.
 
“Se os professores estivessem armados, e se os serventes estivessem armados, essa tragédia de Suzano teria sido evitada”, disse Olímpio durante reunião da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado.
 
Em nota, Olímpio acrescentou que “a política desarmamentista fracassou” e que não pode “deixar que os aproveitadores se utilizem da tragédia para falar que o desarmamento é solução, essas armas são ilegais e foram obtidas e usadas por adolescentes”.
 
O senador aproveitou para também fazer a defesa da redução da maioridade penal. Ele é autor de projeto de lei que prevê a possibilidade de prender qualquer pessoa a partir dos 12 anos após avaliação psicológica.
 
“Nossas escolas deviam ser lugar de proteção para nossas crianças e infelizmente não estão seguras. Precisamos urgentemente rever a nossa política de segurança pública, bandido não tem idade, e essa tragédia apenas reafirma que precisamos reduzir a maioridade penal já.”
 
Segundo a Polícia Militar, quatro estudantes e dois funcionários -entre eles a coordenadora – foram mortos na escola, em Suzano, e outros dois alunos morreram após serem levados a hospitais da região.
 
Os disparos foram  feitos por volta das 9h30, quando dois homens encapuzados, que aparentam ter entre 20 e 25 anos e ainda não tiveram a identidade divulgada, atiraram contra os alunos e, em seguida, se mataram.
 
A dupla levava um revólver calibre 38, uma besta e artefatos explosivos. Há ao menos outras dez pessoas feridas, duas em estado grave, de acordo com o Corpo de Bombeiros.
 
Já houve no país ao menos outros sete casos similares ao de Suzano com atiradores (alunos ou não) dentro de escolas abrindo fogo contra estudantes e outras pessoas. As informações são da Folha de S.Paulo.
 
 
 
 

Comente

Últimos Comentários

    Nenhum resultado encontrado.